LIVROS PARA LER EM CASA

Em meio a quarentena, sabemos que é difícil passar o tempo. Por isso, com o objetivo de provocar reflexões sobre a nossa atual situação, separamos alguns livros que, além de ajudar nessa permanência em casa, mostram os horrores de uma epidemia.


O Último Homem – Mary Shelley, 1826


Em um futuro distante, uma terrível guerra assola o mundo destrói a humanidade devido a uma praga, que, gradualmente, mata todos os seres humanos. Na introdução do livro, um narrador desconhecido afirma ter encontrado na caverna de Cumana, sacerdotisa de Apolo, um manuscrito escrito por ela e salvo da destruição dos livros de 83 a.C. O manuscrito antevê os acontecimentos que ocorrerão dois séculos mais tarde (ou seja, no século XXI) que destruirão a Humanidade.


Lionel Verney, o único humano imune à praga, testemunha a gradual destruição de todos à sua volta, o que lhe produz uma profunda mudança psicológica e emocional.


O Amor nos Tempos do Cólera – Gabriel García Márquez (1985)


A história do amor entre Florentizo Ariza e Fermina Darza se passa no período em que a América Central convivia com as horrorosas epidemias do cólera, doença extremamente devastadora. A história de um amor que sobreviveu por meio século separado, carrega como inspiração o caso de amor entre os pais do próprio autor.


Um Diário do Ano da Peste – Daniel Defoe (1722)


O relato sobre o episódio que devastou Londres em 1665 e dizimou 100 mil pessoas. Nele, são retratadas a agonia, a falta de um tratamento eficaz, as ações desesperadas das pessoas, como mastigar tabaco ou amarrar noz-moscada ao pescoço, com o intuito de viver. Com medo da contaminação, muitas famílias se trancaram em casa, e outras fugiram da cidade.


A Peste Albert Camus (1947)

Na cidade de Orã, norte da Argélia, um médico encontra um rato morto ao deixar seu consultório. No dia seguinte, a cena se repete. Em pouco tempo a quantidade de ratos aumenta exponencialmente, deixando como única solução a cremação desses animais. Com a cidade em pânico e o aumento incontrolável de mortes, a cidade decreta quarentena e fecha suas fronteiras. Em meio ao caos, um padre afirma que a praga é um castigo divino, por isso, os cidadãos deveriam aceitar seus destinos. Então, em determinado momento, as mortes começam a diminuir, e a epidemia acaba.


Ensaio sobre a Cegueira José Saramago (1995)


Voltando para casa, depois de um dia normal, um homem fica cego. Uma cegueira, branca, como um mar de leite e jamais conhecida. Logo, as pessoas que tiveram contato com ele começam a ficar cegas também. Assim, a epidemia toma conta de uma cidade inteira. O governo decide agir, e as pessoas infectadas são colocadas em uma quarentena em um manicômio, único lugar afastado da cidade capaz de recebe-los. Com recursos limitados, aos poucos as características primitivas do ser humano são reveladas. Os cegos acabam vivendo situações extremas, envolvendo a ética, moral e os instintos primitivos, causadas pela busca pelo poder e comida.


Quando o primeiro grupo a ficar cego consegue fugir da quarentena imposta, a cidade está praticamente vazia, e em condições tão lamentáveis quanto o manicômio. Com a súbita volta da visão, na mesma ordem em que ficaram cegos, a obra chega ao fim.


Decameron – Giovanni Boccaccio (1348 -1353)


100 contos contados por um grupo de jovens que se abrigam em uma vila isolada de Florença para fugir da peste negra, que afligia a cidade. Escrito em meio à epidemia da peste mais famosa da do continente europeu, Boccaccio reúne contos que vão do erótico ao trágico, contos de sagacidade, piadas e lições de vida. Seu relato ilustra a doença e suas manifestações, evolução, sintomas, a reação das pessoas diante da morte, a ineficácia da religião católica e medicina da época.


Ah, não custa lembrar as medidas de precaução que precisamos tomar diariamente:


  • Evite aglomerações;

  • Evite sair de casa;

  • Compre o necessário para a semana;

  • Não estoque produtos nem alimentos, pense no próximo;

  • Lave bem as mãos e mantenha o álcool em gel por perto;

  • Caso apresente os sintomas, procure um médico;

  • Mas, caso não seja os sintomas descritos, fique em casa,

  • Como já dito, cuide da sua saúde, tanto física como mental!



Esperamos que todos estejam bem!




 

©2019 por eu sei o que eu leio. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now