A RELAÇÃO DO ROMANTISMO ALEMÃO E O SETEMBRO AMARELO

Atualizado: Set 11

É impossível falar do livro Os Sofrimentos do Jovem Werther sem revelar o final. Então, para quem não gosta de spoilers, não recomendo a leitura deste texto.


10 de setembro, Dia Mundial do Combate ao Suicídio. Um dia que devemos parar e refletir. Refletir sobre nossas atitudes, sobre como tratamos as pessoas, sobre a dor e o alívio que podemos causar com apenas algumas palavras.


Para podermos desmistificar o suicídio e identificar alguns sinais de que alguém não está bem, temos que falar sobre. Por isso, trouxemos uma análise do clássico da literatura mundial e um dos precursores do romantismo alemão: Os Sofrimentos do Jovem Werther.


Publicado em 1774, o livro de Johann Wolfgang von Goethe traz a história de Werther, um jovem que, por causa dos negócios da família, se muda para uma pequena cidade, e lá, conhece a jovem Charlotte (a idealização da mulher do século XVIII), por quem desenvolve uma grande paixão. O romance narrado em primeira pessoa, na forma de cartas entre Werther e seu amigo Wilhelm, relata os acontecimentos entre maio e dezembro de 1771, período em que nosso protagonista conhece Charlotte, se apaixona por ela e se desilude romanticamente.


O livro que começa com um narrador equilibrado e focado, vai se transformando em um relato desesperado sobre como um homem perde a razão por causa do amor.

Por causa da relação platônica desenvolvida entre Werther e sua amada, prometida em casamento a Albert, nosso protagonista (descrito como passional) entra em uma profunda depressão e estado de agonia, que o leva a tirar sua vida.


Considerado um escândalo, a obra chegou a ser proibida em alguns países depois que uma suposta onda de suicídios ocorreu entre os leitores da obra.

O livro, que inaugura o romantismo, pertence ao movimento Sturm und Drang (Tempestade e Ímpeto, em português), estilo que esteve em vigor entre as décadas de 1760 e 1780 na Europa, e se opunha às ideias iluministas. Este defendia a racionalidade, enquanto o primeiro defendia o Homem como ser sensível e passional.

Johann Wolfgang von Goethe 1749–1832


Filho de Johann Gaspar Goethe e de Catharina Elisabeth Goethe, descendente de rica e culta família alemã. Cresceu em meio aos livros da biblioteca de seu pai e foi educado por tutores, tendo aulas de inglês, francês, italiano, grego e latim. Formou-se em Direito e ocupou vários cargos políticos. Tinha interesse por diversas áreas do conhecimento, dentre elas a alquimia. Fez descobertas na área da botânica e zoologia. Sua “teoria das cores” influenciou vários pintores. Participou das guerras napoleônicas, combatendo a França. Autor também de Fausto.




 

©2019 por eu sei o que eu leio. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now